Gatos

A alimentação dos gatos: tipos de ração

Os gatos necessitam de ter uma alimentação equilibrada de acordo com as suas necessidades.

Os gatos são felinos, animais carnívoros que no seu habitat natural caçam e alimentam-se das suas presas, ingerindo, através da carne, todos os nutrientes que necessitam para uma alimentação saudável e completa. Não estando num ambiente selvagem, os gatos necessitam que a alimentação deles os ajude a terem todos os nutrientes necessários para o seu bem-estar.

Sabia que, se não alimentar o seu gato de forma correta, pode fazer com que este envelheça mais rapidamente e que esteja mais propício a doenças?

A alimentação é muito importante para o seu gato. Não dê restos de comida sua ao seu gato. Até pode poupar dinheiro, mas estará a prejudica-lo bastante. Irá fazer com que este sofra com o sucessivo desregulamento do organismo e sofra ainda com as doenças que podem vir associadas.

Mantenha sempre a taça do seu pequeno felino limpa, com alguma ração seca, que se estraga menos que a ração húmida, e sempre com água fresquinha. Os alimentos processados, em particular a ração seca, tem baixa quantidade de água e por isso os gatos precisam de beber para compensar e evitar uma eventual desidratação.

Todos os gatinhos têm gostos diferentes, tal como os humanos. Tente adequar a alimentação do gato aos seus gostos.

Sabia que os nossos amigos de quatro patas não podem comer chocolate?
O chocolate tem alguns ingredientes que fazem com que os nossos amigos fiquem doentes, aliás um dos ingredientes do chocolate (teobromina) é tóxico para o gatinho.

Tipos de ração para gatos

Existem três principais tipos de ração para o seu gato: seca, húmida e semi-húmida.

1. Ração húmida

É uma ração com elevado teor de humidade, sendo que apresentam molho e geleia e pedaços de carne na sua constituição. Normalmente este tipo de ração é enlatada e fechada a elevada pressão.

A sua preparação é realizada também a elevadas temperaturas. Apesar da maior parte da sua constituição ser água, é também por esse motivo que mais se assemelha à alimentação natural dos felinos na vida selvagem e, por isso, tem ganho mais adeptos entre os donos de felinos em relação às rações secas, mais ricas em nutrientes mas mais pobres em hidratação.

Problemas dentários a longo prazo são uma das desvantagens das rações húmidas.

2. Ração semi-húmida

É uma ração com um nível de humidade inferior à acima apresentada, sendo que já não apresenta molho na sua constituição, apresenta apenas um aspeto molhado.

Apresenta os alimentos em pastilhas moles, parecendo ter uma textura de borracha.

Tanto este tipo de ração como a acima referida são rações que irão contribuir para que apareça tártaro nos dentes do seu gatinho, mau hálito e fezes com um cheiro muito ativo.

3. Ração seca

Tal como o nome indica é uma ração com um baixo nível de humidade, compensado com grande riqueza de nutrientes, apresentando uma textura de biscoito.

Este tipo de ração pode ser dada ao seu gatinho a seco tal como vem nos saquinhos ou então pode ser-lhe adicionada água ou molho próprio para as rações.

Estas rações por norma são embaladas em sacos de biscoitos. Não têm nenhum tratamento em especial.

Para os gatos que comem este tipo de ração é necessário que a taça de água esteja sempre com água potável e fresca para compensar a falta de água do alimento.

A ração adequada ao seu gato

Como todos os outros animais, à medida que os anos vão passando, os gatos vão tendo diferentes necessidades nutritivas. O cálcio dos ossos vai desaparecendo, vai sendo mais difícil absorver determinadas vitaminas, e a ração é o método mais fácil para dar ao seu gato tudo aquilo que ele precisa.

À medida que o seu gato vai crescendo, existem vários tipos de ração para gatos específicos para a idade, desde gatinhos juvenis, adultos, e seniores. Pode ainda encontrar ração para gatos esterilizados, gatos de interiores, comida light, rações adequadas para dietas específicas, problemas urinários, entre outros.

Para uma boa alimentação do seu gato terá de ver a qual dos grupos ele pertence e aconselhar-se com o seu veterinário ou na sua petshop.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *